mamoplastia de aumentoEssa cirurgia é mais indicada para as pessoas que possuem mamas pequenas ou para as pessoas que estão insatisfeitas esteticamente com o tamanho dos seus seios. Pode ser feita em diversas situações como: a ausência das mamas, mamas desiguais, seios caídos e pequenos. Nesse caso, são colocados os implantes mamários que devem ficar atrás das glândulas mamárias ou por trás dos músculos do peito. Os implantes nos seios podem ser colocados em mulheres com no mínimo 15 anos de idade.

Essa cirurgia pode ser feita de três formas: pela via axilar, pela via transaureolar (pelo mamilo) ou pela via submamária. A cirurgia começa com uma pequena incisão que deixarão o mínimo de cicatrizes possível. O médico irá fazer a ligação entre o tecido da paciente até onde o implante deve ficar. Mamoplastia de aumento.

Em alguns casos, são utilizados implantes infláveis que são enrolados e colocados na incisão. O cirurgião usa uma seringa para encher o implante com uma solução através de uma válvula e a enche no tamanho desejado. Outra opção é usar implantes pré-cheios, mas para isso a incisão terá que ser maior.

Tipos de Próteses: Elas se dividem em lisas, de poliuretano e texturizada. Sendo que as mais usadas são as texturizadas.

Tamanho das Próteses: A paciente deve pensar previamente qual o tamanho da prótese que deseja colocar e informar sua decisão ao seu médico. Ele irá analisar sua altura.

Formas dos Implantes de Mama

Para escolher o formato das mamas, a paciente deve verificar com o médico aspectos como a quantidade de tecido, o local para colocar o implante e a anatomia do paciente.

Redondos: Esse é o mais comum entre os implantes e ajudam a sustentar e definir mais os seios. O problema apontado pelas pacientes é que esse formato deixa os seios um pouco artificiais.

Arredondados: São implantes com formato de lágrima mais parecidos com o formato real das mamas.

Tipos de Incisão para Implantes de Mama

Periareolar: Tipo de incisão mais usada nas cirurgias para aumento de mama. Por ela, pode-se colocar o implante de forma subglandular, submuscular e subpeitoral. Após a incisão, é necessário enrolar a capa que protege o implante para que ele não seja contaminado por bactérias durante o processo.

Prega Inframamária: Outra incisão comum que possibilita a colocação e a retirada do implante. O corte é feito na dobra localizada embaixo das mamas e é colocado de forma vertical. Nesse caso, não é necessário usar uma capa protetora. É feito um procedimento para centralizar a auréola no tamanho do novo seio.

Transaxilar: Essa incisão quase não deixa cicatriz e o corte é feito em uma dobra na axila até a mama. Cria-se um canal e por ele passa o implante. O único problema encontrado nesse tipo de cirurgia é o fato do corte ser longe das mamas.

TUBA: Também chamado de aumento de mama trans-umbilical, essa técnica é pouco utilizada. É usado um endoscópio que passa por baixo da pele, próxima do umbigo, indo em direção à mama. O implante é dobrado e levado até onde deverá ficar. Ele recebe enchimento e passa por esse túnel antes do fechamento da incisão. Costuma ter uma recuperação mais curta e precisa de implantes.

Marcas de Prótese de Silicone

Arion

Essas próteses são fabricadas pelo laboratório francês Arion que trabalha com a fabricação de implantes mamários. O fundador da empresa foi o responsável por criar o primeiro implante inflável do mundo.

Eurosilicone

Próteses fixas de silicone, fabricadas na Europa, compostas por três camadas, no intuito de evitar vazamentos.

Silimed

Empresa de produção de silicone criada no Rio de Janeiro e responsável por produzir implantes e produtos para reparos estéticos.

Mentor 

A Mentor pertence ao grupo Johnson e Johnson. Fundada em 1969, ela se tornou uma das maiores empresas do segmento.

Mcghan-Allergan

Empresa do ramo de próteses de silicone que criou uma camada denominada BIOCELL, ajudando a prótese a ter mais aderência com o corpo, evitando mudanças de posição. Seios grandes.

Riscos e Cuidados da Mamoplastia de Aumento

seios grandesComo qualquer cirurgia, essa também oferece riscos que devem ser analisados pelos pacientes. O primeiro deles é uma possível infecção. O paciente deve estar atento às febres ocorridas após a cirurgia, pois elas podem indicar não só uma infecção, mas também um problema mais grave ocorrido durante o procedimento.

O segundo ponto que deve ser verificado é a flacidez das mamas em que o implante fica mais muito abaixo da auréola. Nesse caso, é importante verificar informações precisas com seu cirurgião. Os hematomas são outras complicações que podem acontecer após a cirurgia. Além disso, o corpo da mulher pode sofrer uma contratura capsular que acontece quando a cicatrização acaba espremendo o implante nos seios.

Outros Riscos após a Cirurgia

  • Necrose: caso mais difícil de ocorrer, em que o tecido é ao redor da mama é considerado morto e para solucionar o problema, o médico pode indicar uma cirurgia e até retirar os implantes. Pode deixar manchas e cicatrizes.
  • Ruptura: É importante que a paciente tenha cuidado com certas manobras, pois apesar de tudo, os implantes podem sofrer ruptura que podem não estar garantidas pelo fabricante. Tire todas suas dúvidas com seu médico.
  • Seroma: Acúmulo de líquido próximo ao implante.
  • Simastia: Problema muito raro de ocorrer, causado por um erro durante a cirurgia, fazendo com que seu implante levante o esterno (osso que serve para sustentar as costelas e a clavícula e ajuda na formação da caixa torácica).

Cuidados na Cirurgia de Mamoplastia de Aumento

- Evite atividades físicas por um período de um mês;

- Evite movimentos repentinos com os braços para não atrapalhar no processo de cicatrização;

- Evite tomar medicamentos em datas próximas ao dia da cirurgia;

- Verifique com o médico se há alguma restrição de medicamentos ou alimentos;

- É importante a utilização do dreno (um cano usado para eliminar secreções), pois ele ajuda a deixar o local da cirurgia mais limpo ajudando no pós-operatório.